A Marquesa (Damas Perfeitas # 1) - Resenha

Esse foi meu primeiro livro da autora Nahra Mestre e estou em êxtase. Tive muita curiosidade de ler após notar muitas postagens com a capa. Pesquisei sobre o livro e a sinopse me encantou ainda mais.


Nem preciso dizer que a diagramação é PERFEITA, a capa é lindíssima e o capricho que foi aplicado a cada detalhe do livro me deixou encantada. 

Comecei a leitura tarde da noite e quando notei, já havia concluído. Fiquei presa a leitura de tal forma que, não consegui desgrudar os olhos das páginas por nenhum segundo, com medo de perder algum acontecimento.

No início do livro, acreditei que o romance seguiria de determinada maneira e fiquei surpreendida ao finalizar a leitura com um pensamento totalmente diferente.

Sarah é uma jovem linda e inteligente, com interesses e ideais muito avançados para sua época. Adorei a forma como a personagem cresce durante o livro, sua força e determinação, sua língua afiada e  astúcia,  fiquei encantada com sua inteligência e raciocínio rápido.
“Conservar uma postura socialmente aceita era enfadonho, um conjunto de regras ridículas que faziam as pessoas esconderem a própria identidade.”
Thomas a princípio não despertou meu interesse. "Alto, ombros largos e cabelos desalinhados." Pele alva, cabelos negros. Dono de um título importante e bastante inteligente, seria o próximo parlamentar do Reino Unido.

Por ser o filho mais velho do Marquês, ele já cresceu com o peso do título e deveres em seus ombros. Sem ter direito a escolher como seguir sua própria vida, preso a um acordo de casamento imposto por seu pai. 

Como Herdeiro ele teria que se casar com a moça que seu pai escolheu. Sua prima mais nova, quando o acordo foi feito ela era apenas uma criança. Ele sonha em conquistar seu próprio espaço e tem ideais totalmente diferentes de seu pai.

Ao decorrer das páginas fui me afeiçoando pelos personagens e começando a entender o que sentiam, suas ambições e vontades. Notei vários mistérios a serem desvendados, segredos e fatos que aguçaram minha curiosidade. 

A história de amor entre o casal, foi construída aos poucos. Sarah desde que soube do noivado, se empenhou ao máximo para se tornar uma boa esposa, fez tudo que podia para conseguir a afeição e amor do futuro marido. Determinada e muito corajosa, não media esforços para conseguir o que desejava. Todos se dobravam aos seus desejos.

Thomas lutou com todas as suas forças para não se entregar ao que estava sentindo por ela, teve atitudes que me deixaram furiosa.
"Não sou dado a sentimentos Lady Hervey mas acredito que passaremos momentos agradáveis aqui. "                                                                      
Após a revelação bombástica, fiquei de queixo caído com a quantidade de informações que foram reveladas, o motivo pelo qual Thomas tinha tanta aversão a sentimentos, todo o drama familiar envolvendo o avô de Sarah sendo assim, desencadeou uma série de acontecimentos.

O que mais me impressionou no livro foi que a estória não foi apenas um romance de época. A autora elevou o nível nos levando a acontecimentos históricos, nos mostrando o período político, destacando a disputa entre liberais e conservadores que ocorreram no Reino Unido. 

A luta da minoria que começa a se expandir para o desenvolvimento industrial.
Os personagens principais e secundários foram muito bem construídos e tiveram sua identidade, deram vida ao cenário se encaixando em todo o enredo. 

Aguardando o próximo livro, que já me deixou extremamente curiosa somente com o Prólogo. A cortesã, será o segundo livre da série Damas Perfeitas.


Autora: Nahra Mestre
N° de páginas: 170
Editora: The Books/ Portal

Sinopse: Nos palcos da aristocracia inglesa do século XIX, Sarah Granville Anson descobre, ainda muito jovem, que foi prometida para o primo Thomas Hervey, futuro marquês de Bristol. 

Enquanto ela se prepara para ser a esposa perfeita, Thomas torna-se cada vez mais contrário a qualquer tipo de sentimento.

Uma dama apaixonada, que faz de tudo para conquistar o amor do futuro marido, ainda que com artifícios inapropriados para a sociedade conservadora em que vive. Um cavalheiro marcado pelo passado, avesso ao amor, mas que se vê envolvido pelos encantos de Sarah a cada dia.

Quando Thomas se der conta de que ela é o amor de sua vida, pode ser tarde demais.
Um romance de época, que retrata uma mulher à frente de seu tempo e que levará o leitor (a) a uma deliciosa viagem pela Era Vitoriana. 


Você irá se apaixonar.

2 comentários