A Besta (Irmandade da Adaga Negra #14) - Resenha

Após uma série de acontecimentos intensos, Rhage se sente estranho. Mesmo tudo dentro do esperado com Mary, seu amor por ela ainda sendo o mesmo, ele sente que ambos estão cada dia mais distantes.

Com a sociedade redutora tendo novas armas e estarem sendo melhor liderados, a luta contra eles se torna cada dia mais difícil.

Após uma luta intensa contra os inimigos, Assail e seus dois primos provam serem grande aliados da irmandade.

Mary tem que tomar uma decisão que terá grande efeito na vida dela e Rhage, afetando assim a vida de todos ao redor.

Com a ajuda dos Bastardos a Irmandade se vê com um grande trunfo nas mãos e assim, descobrem que quem estava realmente armando contra a coroa eram os vampiros da Glymera.

Layla, encontra se numa situação complicada.  Sentindo se cada dia pior, em uma relação complicada e brigando contra seus sentimentos e sentindo se culpada.

Assail, lutando contra a dor no peito que vem o deixando cada vez mais a beira de cometer besteiras, com seu vicio ficando cada vez mais nítido, ele decide ajudar V. tentando se distrair mudando o foco da sua existência.

Nesse meio tempo, Assail liberta Markus (escravo de sangue de Nasla), leva ele aos cuidados da irmandade onde Z. Após passar um tempo, Z., junto com Assail e seus primos, vão ate a casa de Nasla para um acerto de contas.

Payne e V., ajudaram a evitar algo que iria destruir os sonhos de muitos na mansão.
Sendo assim, um acontecimento deixa todos surpreendidos. A virgem escriba se foi deixando apenas uma carta.

Após perderem seu líder os bastardos decidem seguir para o antigo pais como sempre foi o protocolo deles, e novamente somos surpreendidos com o desenvolver da estória.

Ward como sempre, deixou o livro recheado com ação e momentos intensos! 

Autora: J.R. Ward
N° de páginas: 608
Editora: Universo dos livros


Sinopse:  Da autora best-seller do The New York Times, J. R. Ward, uma das mais aclamadas autoras da atualidade! Nada é como costumava ser para a Irmandade da Adaga Negra. Depois de quase entrarem em guerra com os Sombras, as alianças se alteraram e as fronteiras foram delimitadas. Os assassinos da Sociedade Redutora estão mais fortes do que nunca, aproveitando-se das fraquezas humanas a fim de obterem mais dinheiro, mais armas, mais poder. Contudo, enquanto a Irmandade se prepara para atacá-la com toda força, um dos seus guerreiros tem uma batalha íntima para combater… Para Rhage, o Irmão com os maiores apetites, mas também com o maior coração, a vida deveria estar perfeita – ou, pelo menos, perfeitamente agradável. Mary, sua amada shellan, está ao seu lado; além disso, seu Rei e os Irmãos estão prosperando. Rhage, porém, não consegue entender – tampouco controlar – o pânico e a insegurança que o afligem… E isso o apavora – assim como o afasta da sua companheira. Após sofrer um ferimento letal numa batalha, Rhage necessita reavaliar suas prioridades. Quando a resposta surge, abala o seu mundo… e o de Mary. Todavia, Mary se lançou a uma jornada própria, que tanto pode aproximá-los como pode ser a causa do rompimento do qual nenhum dos dois se recuperará…

Nenhum comentário